Visão global e pessoal, sobre temas da actualidade Nacional.
publicado por João Ricardo Lopes | Domingo, 05 Julho , 2009, 08:21
O último debate sobre o estado da Nação, foi tudo menos debate. Aliás, na senda dos anteriores, em todos os que tenho acompanhado ( devo ter falhado uns 6) numca assisti ao debate verdadeiro e que se impõe.

Debater significa discutir, opinar, dar respostas e soluções, convergir nos pontos de vista. Infelizmente, em Portugal, os debates são autenticas batalhas campais, onde não importa se o que se discute tem ou não relevância para a vida do cidadão, mas sim se vai ou não manter o "tacho" e produzir votos. e pior do que isso, são os monólogos surdos que nos são oferecidos. Pena que não em bandeja de prata, pois teriam mais valor.

No último, excluída a "investida taurina" de Manuel Pinho que já teve comentários que cheguem, não foi diferente.

Assistimos ao regresso do "lobo", José Sócrates. A pele de cordeiro do pós eleições serviu para pouco tempo. talvez a lã fosse fraca. Regressou o PM que não engana ninguém, que tudo faz por nós, que é surdo às ideias ( mesmo que poucas ) da oposição.

Regressou o Sócrates que tem plena convicção de tudo ter feito a bem da Nação. De ter promovido o bem estar, baixado juros, criado empregos... onde? Ninguém viu.

Arrogante, convencido, surdo, mentiroso. Apliquem os adjectivos que quiserem, mas responsabilisem-se por isso. Sim porque é aqui que reside o nosso maior problema.

Ninguém se responsabiliza por nada! e quando algo corre mal, vai de encontrar um bode expiatório para tapar o que verdadeiramente aconteceu.

BNP,BPP,BCP, seguros por quem trabalha e paga impostos. Auditorias das quais num conhecemos resultados, proteção para quem tudo tem, e nada para para quem precisa. Desemprego quase no 10%... no parlamento, no debate da Nação, nem uma palavra a respeito. Dívida externa de dimensões perocupantes. Balança comercial nítidamente deficitária. Exportações no nível zero. crescimento económico nulo, enfim, um desfilar de situações negativas. Justiça, educação, saúde, tudo num desnorte completo.

Mas voltemos ao parlamento.

A cada intrevenção de um dos grupos parlamentares, ouve-se um chorrilho de críticas e em resposta nada de concreto. Acusam os partidos da oposição, defende-se o governo com acusações de falta de ética e ausência de soluções. Só do PS não saem críticas ao governo. Pudera! Estariam os lugares em risco.

E mesmo quando algo é dito que tenha valor e seja verdade... o PM cala-se e não responde.
Debater ideias e soluções. É isso que é preciso. Não estar agarrados ao lugar!
João Ricardo Lopes - Abraveses/Viseu

mais sobre mim
Julho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO