Visão global e pessoal, sobre temas da actualidade Nacional.
publicado por João Ricardo Lopes | Domingo, 06 Setembro , 2009, 11:06
Publico este texto, porque entendo ser uma boa entrevista de alguém que, na vida política activa, deixou sempre a imagem de pessoa integra e determinada.
Aconselho a sua leitura.

publicado por João Ricardo Lopes | Sábado, 05 Setembro , 2009, 23:38

Depois do jogo desta noite da Selecção Portuguesa, ficou no ar a sensação de que, embora o jogo tivesse corrido bem,  não teve o condão de  mostrar ainda insuficiências.

Em minha opnião, ficou provado que os nossos jogadores não convivem bem com a pressão. Pressão de ter de ganhar e remendar os erros do passado. De um passado recente.

Durante a primeira parte vimos uma equipa com algum jogo fluído, imperialmente comandado por Deco e nem o golo sofrido conseguiu desmontar o sistema. . No segundo tempo, baixou um pouco o nível, mas não o sentido de jogo sempre apontado à baliza contrária. Nada mais havia a perder, e com a Suécia a vencer na Hungria, pior ainda.

Acabou Portrugal por conseguir o empate numa boa jogada concluída de cabeça por Liedson. O tal jogador comprado no Brasil! O mesmo que tantos criticaram com a chamada à Selecção. E por pouco não era o mesmo jogador a RESOLVER o problema. Faltou ainda que Nuno Gomes tivesse um pouco mais de sorte. Outro dos jogadores de quem muitos não gostam mas que resolve muitas situações.

Enfim, vamos ver no que da o resto. É o eterno problema das contas! 


publicado por João Ricardo Lopes | Sábado, 05 Setembro , 2009, 14:35
Não seria de esperar um debate crispado entre José Sócrates e Jerónimo de Sousa.
Sócrates percorreu o tempo do debate defendendo as políticas implementadas e que são alvo da crítica do PC. Insurgindo-se contra o facto de estar sempre o PC a criticar e nunca defender nenhuma das politicas do PS.
Em resposta , J. Sousa salientou o facto de que o PC rejeita tanto as políticas como os seus executores.
No plano das políticas laborais, foi onde J. Sousa marcou pontos ao lembrar as alterações trazidas pelo novo código laboral. No que este trouxe de retrocesso para os trabalhadores. Sócrates contra -pôs lembrando o alargamento do período de pagamento do subsídio social de desemprego de 6 meses para um ano.
No campo da educação, ficou no ar a ideia que Sócrates sabe que errou ao tentar impor modelos de avaliação e tenta agora reparar o erro. Jerónimo atacou por essa vertente, ao confrontar Sócrates com a realidade dos milhares de professores que vieram para a rua vindos de todos os quadrantes políticos. Pelo meio, Sócrates afirmou ser importante a existência dos Sindicatos, mas que estes não estejam ao serviço de outros interesses que não os dos seus associados, numa clara alusão à CGTP. Esqueceu, talvez, que existe uma UGT.
Ficou muito por dizer, e acho que a moderadora, ou estava a dormir ou tentada a não complicar a vida ao PM.
Pelas atitudes apresentadas e pela postura, sou tentado a dar um vitória tangencial a Sócrates.
Resultado: Sócrates 2 - Jerónimo 1. Três pontos para Sócrates que para já reparte com Portas a liderança da tabela.

publicado por João Ricardo Lopes | Quinta-feira, 03 Setembro , 2009, 14:04
Falo agora do debate entre Francisco Louçã e Jerónimo de Sousa.

Nada que que não estivesse previsto dados os vários pontos convergentes na luta contra o que denominam de "políticas de direita".

Com um tom sereno, e muito bem moderados, limitaram-se a falar para os respectivos eleitorados e explicar claramente as suas posições, fazendo bom uso da enorme plateia que tinham pela frente.

Ficou claro que não será com eles que eventualmente o PS poderá continuar com os seus desmandos, mas também não foi dito que o País ficaria ingovernável por falta de apoio.

Foi mais uma "batalha" pela conquista do melhor lugar na esquerda portuguesa.

Louça - 1 Jerónimo - 1 - fica 1 ponto para cada lado.

Paulo Portas na liderança nesta (minha) tabela classificativa

publicado por João Ricardo Lopes | Quinta-feira, 03 Setembro , 2009, 13:48
Principiaram ontem os debates televisivos. Nada disse sobre o primeiro no momento, pois por razões profissionais não tive essa oportunidade.
Achei sobre o primeiro, que o Dr. Paulo Portas saiu vencedor.
Apresentou-se sereno mas incisivo. directo nas perguntas e esquivando-se com alguma habilidade às investidas do Engº Sócrates no tocante à sua participação em governos anteriores.
Coerente com o que fez nos últimos quatro anos, em que sempre questionou continuamente a actividade governativa. Segurança, solidariedade social, economia, educação. Todos os temas que são caros ao CDS/PP.
Quanto a José Sócrates, apresentou-se com uma falsa serenidade.
Como tem sido seu timbre, procurou fugir com subterfúgios às respostas que deveria dar, directas e claras, fossem quais fossem as consequências. Em vez disso, refugiou-se na argumentação da quebra das regras do debate e perdeu com isso minutos preciosos. Mais uma vez, vi um Sócrates sem capacidade de convencimento.
Paulo Portas 1-Sócrates 0 - 3 pontos para Paulo Portas

publicado por João Ricardo Lopes | Quinta-feira, 03 Setembro , 2009, 13:20
Ao Longo dos último anos em especial nos últimos meses, temos assistidos a um acentuar de intenções inibitórias por parte deste governo. Outros o fizeram com êxito anteriormente vem agora o PS fazer o que antes criticou.
A ser verdade a existência de participação externa na decisão da administração da TVI, assistimos a uma despudorada intenção de calar as vozes incómodas.
Não estou errado ao afirmar que é a informação da TVI que lidera o espectro televisivo em Portugal. Com grandes profissionais, com também os há em outras estações, sempre atentos ao desenrolar do que se passa à volta do nosso pequeno mundo português.
Fiquei chocado com o sucedido embora tal situação se afigurasse clara e lógica desde que a Prisa tomou as rédeas da Média Capital. A própria Manuela Mora Guedes foi afastada da informação e recuperada depois pelo José Eduardo Moniz. com o afastamento deste, seria uma questão de tempo. Este e que não foi o melhor e mais adequado.
vindo a decisão de onde veio, e conhecendo-se o pensar económico/político Espanhol, fica provado que do outro lado da fronteira, e perdoe-se e expressão, estão-se absolutamente nas tintas para os nossos problemas desde que os seus ganhos não se percam.
Não proponho como é óbvio que regressemos às guerras contra Espanha. Isto já lá vai! Convém contudo recordar a História e a promessa velada de 1640 aquando da expulsão dos Espanhóis do nosso País. "Havemos de voltar!" e voltaram. Primeiro pela via económica, agora por um caminho que, confirmado, é muito mais obscuro. O da limitação das liberdades fundamentais.
Atenção aos Grilhões que estão na forja! Cuidado com os "carrascos" que andam à solta!
João Ricardo Lopes - Abraveses/ Viseu

publicado por João Ricardo Lopes | Terça-feira, 01 Setembro , 2009, 14:29
Depois de ouvir a entrevista do Engº Sócrates à RTP, ficou no ar a ideia de quem quer fazer crer que nada se passou de errado nos últimos quatro anos. No mínimo que foi tudo obra da crise internacional. É claro que não foi. Ajudou mas não foi.
Portugal sofreu, é certo, o mesmo que outro países mais poderosos, onde a situação foi muito grave e onde sinais muito ténues de recuperação começam agora a surgir.
Dizer que Portugal foi o primeiro país a sair da crise parece-me pretensão a mais.
Outro aspecto da entrevista que não me agradou nada, embora já esperasse por ele, foi a bipolarização criada pelo PM e a redução a dois partidos de um acto eleitoral que vai ser disputado por várias forças políticas.
É certo que assim vais ser, mas cabia ao Sr PM o pudor necessário de não ser tão incisivo.
Embora não concorde com muito do que diz, faz e pensa, José Sócrates, tendo a concordar no que respeita à Drª Ferreira Leite,não será por aí que Portugal poderá sair a ganhar. Sobriedade sim, superioridade não. a Drª M.F. Leite, revela pouca ou nenhuma vontade de confraternizar de perto com aqueles a quem quer pedir o voto e a confiança para a liderança dos destinos da Nação. Isola-se em reuniões fechadas a pequenos grupos de quem sabe ter apoio e aplausos. Não vai ao País real, onde as angústias são muitas e a "revolta" o prato do dia.
Ainda o ar angelical do PM, ao dizer que confia na justiça e que tudo será esclarecido. "A verdade vira ao de cima" - pois... Mas qual verdade? a dele ou a verdadeira.
e se José Sócrates não for reeleito PM?
Atenção Portugueses!
Quanto à democracia partidária, sabe-se que são candidatos os que se-lhe opõem internamente, mas em que lugares?
Mudar é preciso. A mudança começa agora.

mais sobre mim
Setembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

14
15
16
17
18
19

21
22
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds