Visão global e pessoal, sobre temas da actualidade Nacional.
publicado por João Ricardo Lopes | Domingo, 17 Janeiro , 2010, 17:43

Nos últimos dias fomos constantemente "massacrados" com notícias provenientes do Haiti, em consequência  do abalo sísmico da passada terça-feira.

Foi sem dúvidas uma grande tragédia que dilacerou o já de si dilacerado País.

É confrangedor ver a impotência dos meios, os que puderam actuar de imediato, e dos primeiros a chegar ao País, uma vez que a rápida resposta no envio, esbarrou com a impossibilidade de locomoção e uma correcta aplicação destes no terreno.

Não cabe aqui referir se foram ou não tomadas as medidas necessárias e úteis. Não cabe aqui, criticar as atitudes provenientes da indignação dos populares.

Estas são, evidentemente, fruto do desespero de quem nada tem. Pudesse eu próprio daria o meu contributo pessoal, mas infelizmente não posso.

Fico no entanto chocado com o oportunismo e alguma falta de escrúpulos por tarte de países e instituições.

Aos primeiros, não retiro a importância da ajuda solidária, mas acrescento o sempre presente interesse em sr o principal interlocutor da reconstrução . Dão hoje para receber em dobro ou mais depois. Lutam entre si pela posição dominante. Enviam ao terreno os seus mais altos representantes. Não para que estes ajudem com as suas próprias mãos nas operações de busca e salvamento, mas para firmar e afirmar junto das populações, ainda em choque, que com eles o futuro será risonho e de esperança. Depois, é o que normalmente se vê.

Dos segundos, lanço a minha crítica às pequenas instituições regionais. Aquelas que sabem pouco poder fazer mas que ainda assim querem aparecer nas notícias e nas página dos jornais.

Sei que todas as "migalhas" contam. Mas não vejo em abundância, que estas mesmas instituições saiam a terreno para defender e ajudar os que precisam de ajuda mesmo ao pé da porta. e refiro-me a Portugal em concreto, de onde surgiram de repente, milhares de euros para enviar ao povo Haitiano. Bonito sem dúvida, mas e os muito necessitados de cá? Aqueles para quem nunca há verbas? Aqueles para quem dar uma palavra de consolo ( no óptica das instituições) equivale a encher-lhes a mesa ou saciar-lhes a fome?

É contra esta hipocrisia que vou tentando lutar, mas que poucos acompanham. Sou contra a inércia dos que estão sempre a dar a cara por tudo e por nada, mas de quem não se ouve uma única palavra sobre o assunto.

Foi triste sem dúvida e uma enorme a tragédia. Vai concerteza, prolongar-se no tempo. Mas quantas pequenas e grandes tragédias estão espalhadas por este mundo e pelo nosso País, para as quais ninguém dá resposta ou importância?

Já agora, vale a pena pensar nisso!

 


Ainda Nao Tenho a 31 de Janeiro de 2010 às 16:30
Já existem no Haiti, muito antes do sismo, paises que prestam a a sua ajuda. Estão lá gratuitamente com os seus meios ao serviço das populações. Um deles merece destaque espacial, Cuba. Como sempre, Cuba é solidária com todos os povos do mundo. Sendo um país pobre em termos modernos, demonstra a sua enorme riqueza em solidariedade. Bem aja Cuba e todos os cubanos.

mais sobre mim
Janeiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO