Visão global e pessoal, sobre temas da actualidade Nacional.
publicado por João Ricardo Lopes | Domingo, 12 Setembro , 2010, 23:18

Partilho este artigo sobre a intervenção de Fernando Nobre numa acção de Pré-Campanha.

Não porque apoie o candidato, ainda não vi ninguém com perfil suficientemente válido para o lugar, mas porque vejo nela a coragem que ninguém tem para falar ao povo.

 

«Manuel Alegre invoca muitas vezes que é uma candidatura da cidadania. Acho que cada um tem de assumir exactamente o que é. Não se pode falar da cidadania por mero cálculo tacticista», afirmou Fernando Nobre em declarações à agência Lusa.

Recordando que Alegre tem o apoio do Bloco de Esquerda e do PS, Fernando Nobre salienta que, por isso, «tem que deixar claro que é um candidato apoiado por dois partidos políticos e não pode vir dizer agora que é um candidato independente. Se o quisesse ser tinha tido oportunidade de o ser».

Fernando Nobre participou em Paredes num jantar que reuniu algumas dezenas de apoiantes e que culminou um dia marcado pela inauguração de sedes concelhias da sua candidatura em Lousada e Paredes.

À agência Lusa, Fernando Nobre disse que a sua candidatura é «a mais genuína representação da cidadania, livre de jogos, de grupos de interesses económicos e partidários».

O candidato exortou também Cavaco Silva e Manuel Alegre a assumirem «as suas responsabilidades» pelo estado «a caminho do insustentável a que chegou o país».

«Cada um tem que assacar as suas responsabilidades e não pode fugir delas. Temos um candidato que foi primeiro-ministro 10 anos, que é Presidente há quatro e que está interveniente na política possivelmente há 20. Tem responsabilidades extremamente nítidas na situação actual», disse à Lusa referindo-se ao actual Presidente da República, Cavaco Silva.

Fernando Nobre lembrou também que o seu adversário Manuel Alegre «foi deputado durante mais de 30 anos e sempre aprovou os orçamentos de Estado que conduziram o país à situação de défice e endividamento que tem hoje».

«O Dr. Manuel Alegre aprovou inclusive a maioria das alterações laborais que puseram os trabalhadores portugueses não situação em que estão hoje. É bom que assuma também todas essas posições», sublinhou.

Questionado sobre a carta que a dirigente do PS Edite Estrela dirigiu aos militantes apelando à mobilização em torno da candidatura de Manuel Alegre, Fernando Nobre disse esperar que muitos socialistas e militantes de outros partidos se revejam nas suas ideias.

«Na minha estrutura de campanha eu tenho membros de todos os partidos políticos nacionais, mas esta é a única candidatura que emerge verdadeiramente da sociedade civil, que é independente e que só procura o apoio dos cidadãos», afirmou.

Fernando Nobre disse também que vai percorrer o país para falar com os portugueses e mobilizá-los.

«Acho que chegou o momento de falarmos com frontalidade ao povo português, nomeadamente os que já não acreditam no futuro do nosso país, todos aqueles que estão a emigrar, que estão desalentados e dizer que há esperança se acreditarmos, se nos mobilizarmos, porque Portugal tem um povo que quando devidamente acalentado é capaz dos maiores feitos».


mais sobre mim
Setembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO