Visão global e pessoal, sobre temas da actualidade Nacional.
publicado por João Ricardo Lopes | Terça-feira, 20 Setembro , 2011, 17:55

Se me fosse permitida, concedida, autorizada, a possibilidade de interpelar, olhos nos olhos , algumas das mais mediáticas figuras da nossa praça, certamente teria muito que perguntar. Claro está, que por não ser uma situação usual ou costumeira, os primeiros momentos gerariam algum embaraço para ambas as partes. Não o nego! Se o fizesse, estaria a ser hipócrita. Mas passada que fosse essa inibição inicial e liberto de e receios infundados sobra a aceitação do ato interpelador, depressa ficaria a vontade. Adquirindo a partir daí a fluidez necessária para a conversa.


Dada a situação que se nos apresenta, não seria difícil estabelecer prioridades. A longa lista de questões, rapidamente se transformaria numa espécie de lista telefónica. No tão prático e objectivo "caderninho"...


Do Presidente ao Deputado, passando por Ministros, Secretários de Estado, Presidentes de Câmara e seus acólitos e tantas outras entidades e personalidades.

 

Não seria difícil eleger o rol das questões, e nem a complexidade de muitos temas conseguiriam esmorecer os meus propósitos. Teria um prazer imenso, sem sadismo, em ver, em sentir a dificuldade nas respostas. O engasgar das vozes, a secura das gargantas perante questões directas e objectivas. Questões simples do cidadão comum. Daquele a quem a voz se embarga ao ter de responder aos filho que não tem o que lhe dar para comer quando este lhe diz que tem fome. daquele que não sabe como pagar as contas, pois o magro salário que aufere  por muitas horas de trabalho não chega. Daquele a quem o desemprego bateu à porta. à sua e a de tantos outros companheiros da mesma dura e difícil caminhada.


Se essa possibilidade me fosse dada, perguntaria sem rodeios qual a razão para tanto desequilíbrio. Para tanta desigualdade. Gostaria de ouvir uma explicação plausível da razão de uns receberem pensões milionárias e cumulativas e outros... no limiar da pobreza ou abaixo disso.
Se essa possibilidade me fosse dada, transformaria em força as minhas fraquezas e, sem receios, proporia a tão ilustres figuras uma troca de posições. É claro, é óbvio, não está ao alcance de todos. Não sou pretensioso a esse ponto. Mas o acto de viver, esse... é comum a todos! Ricos e Pobres. Letrados e Analfabetos. Doutores ou Trabalhadores do campo.


Proporia sem receio a simples troca, por UM ANO, dos vencimentos auferidos. Das pensões desiguais. Das curtas, magras,(embora necessárias) prestações sociais.


Ah! Se essa possibilidade me fosse dada...


Que satisfação teria quando, ao fim de horas de conversa, ouvisse finalmente o sublime som da voz da razão.


Que satisfação teria ao ouvir tão simplesmente esta expressão: ... concordo / concordamos consigo!


João Ricardo Lopes
Abraveses, 21 de Agosto de 2011     Hora :23.34 


mais sobre mim
Setembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

26
27
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO